sábado

My Kind of love




recuso o olhar que me penetra a alma, invade o sono e grava a noite no meu corpo.

trago-me liberta da inocência ocasional e antiga como porcelana fina em que o chá das cinco era servido na redoma das memórias que não imito. e assim retomo a vida sem manchar as  cores delicadas que o teu silêncio enche de notas musicais que não sei tocar, atravessando as folhas tímidas que gritam como cabelos ao vento numa intolerância de pele tatuada. retornar à vida então, com a nostalgia do que fui.

____________________________ tranco as lágrimas que ascendem ao topo das árvores que me aguardam_________________________de folhas em branco sem medo dos tons outonais que me envolvem em saudades.


E na nudez da tua ausência, descubro que já posso voar.