quinta-feira

Thirsty Man



Inquieta a boca desiludida imaculada no restolho dos dias sem cor.

torturado o rosto cansado agora dasabitado do seu olhar
como se o fumo fosse névoa e os dedos cigarrilhas apagadas, húmidas, estragadas

recordou-o poema no limite da convergência dos verbos

acreditou-o tão seu, tão perto, tão tudo
acreditou-o príncipe das marés

acreditou-o

depois, num rasgo de orfandade inequívoca, chorou-o em vagas de espuma, ventre esvaziado de concepção seminal

chorou-o para além da sua ausência no corpo onde a vida lhe escorregava

chorou-o com um brilho de sal no olhar a esmorecer de dor


chorou-o como se o bebesse em sombras de águas límpidas...

... chora-o ainda.