terça-feira

Peregrinação


___________________________________num gesto displicente, atiras-me para uma gaveta onde me mantens cativa, embrulhada em meias e lingerie feminina, encerrada aos olhares de quem me pode amar_____________como se fosse fácil prenderes a paixão com que vibro dias e noites sem dormir mesmo que o sono tente vitórias insurrectas e insistentes.

sei que acordo em ti desejos que não me apetece satisfazer. só porque não. talvez para que entendas alguma coisa de mim, sem que to diga, pois apetece-me que me adivinhes, tu que já me devias saber de cor. e salteado, mesmo que se mantenha o mistério do meu olhar ausente que não sabe por onde andou quando regressa.

podes sempre caminhar descalço sobre as pedras dos Caminhos de Santiago, que percorro às vezes, sem saber que caminhos são, que não me levam a Santiago, nem a lugar algum, enquanto me manténs fechada, misturada em sedas e cetim, aroma alfazema , um pouco de alecrim que os meus olhos choram pela flor do monte que começa a nascer neste espaço pequeno (de gaveta de lingerie) sempre que a tua indiferença se mistura com ternura e num gesto de não crente, abençoas todos os lugares onde fomos felizes e entreabres um pouco a gaveta, só para que eu respire a liberdade ________________________________ e ceda à tua vontade.