sexta-feira

Free Fallin'




o sangue sabe a claves de sol quando a neve se derrete na boca, nos olhares e nos corpos em luta em camas desarrumadas pelos lençóis de linho que não amarrotam corações puros de inocência tardia.

culpa-se a decência escusa devidamente silenciada com respostas evasivas de raiva latente.

gestos de encolher de ombros caídos pelo peso do desinteresse egoísta. desdém irritante e arrogante que impele ao isolamento.

toma banho de chuva ácida, que obriga a escolha dum champô alcalino.

alinham-se letras em fila de números pares. a sedução paira entre os olhares fugidios e o charme discreto da burguesia com que se embriaga em cintilações de palavras que bailam nas pontas dos dedos, quando a música tem sabor a âmbar.

nunca é tarde para morrer de pé.