sábado

Hoje



sinto-me 
assim como esta melodia que me empresta a tua voz
para que permaneças
mesmo na distância
que guardo no (en)canto
com que me (tens) cativa(s).


são dores que a náusea alimenta
vómitos
e
pausas de energia
em que me perco em fugas de mim.


a morte é uma semente por germinar
morro 
assim
aos poucos
sem a cor do teu olhar.