segunda-feira

Rio de (a)mar



Poderias ser o sorriso na minha pele
a marca de água nas minhas páginas em branco
a tatuagem do meu corpo em febre

Poderias ser o romance dum olhar terno
ou apenas a voz de anjo com que sussurras o meu nome

Mas o medo é maior que o teu desejo de mim


domingo

Náusea


A solidão ataca o estômago
como invasora de florestas puras
causa o vómito na náusea do aroma intenso
da traição

ou apenas mal entendidos de corações vadios


sábado

Bonjour tristesse



em pensamentos de dança
rodopiamos passos de desencontro
em que 
os teus braços se cruzam em vez de me abraçarem

a queda é livre e o momento solítário


sexta-feira

Ilusão de óptica


Por entre as folhas esguias
o sol 
com que me cegas de amor

em promessas de longos sorrisos



quinta-feira

Lado a lado


sinto na pele o teu toque de ramos hostis
que me ferem a carne
em golpes sem misericórdia de coroas de espinhos
que piso
descalça
pelas tuas mãos de juiz implacável



quarta-feira

Enquanto dormias

                     



o meu corpo transformava-se a cada toque dos teus dedos

quando em sonhos


colorias de orgasmos a minha pele feiticeira